let's be cool
Saudações, visitante! Neste momento, você se encontra no Hishoku no Sora, um blog pessoal sem fins lucrativos. Aqui se fala de tudo um pouco, então fique à vontade!
A versão atual é inspirada na música "Afraid to be Cool", ilustrada por Jimin e Jungkook (BTS, War of Wormone).

the coolest
Kawasumi Shana, 24 anos e contando +1 todo dia 7 de fevereiro - logo, sou toda aquariana. Adoro música, mangás, animes, filmes e livros. Odeio insetos, injeções e filmes de terror, sou criativa e contraditória, possivelmente tenho um parafuso a menos - mas juro que sou legal. Ou não. more?

come with me!


Follow

scream out!

what did you say?

bye baby bye!

 
Hishoku no Sora
Google Chrome | 1366x768


Por que diabos eu faço faculdade?
Não me entendam mal. Eu absolutamente adoro Psicologia, e não saberia por esse amor em palavras! Especialmente, eu amo a vertente psicanalítica (Freud ♥), mas às vezes eu acho que adoro tudo nesse curso: eu adoro ir às minhas supervisões e tirar dúvidas, adoro aprender novos conceitos, adoro debates teóricos ou de questões do dia-a-dia que envolvam a psicologia, adoro ir às aulas e me perceber construindo conhecimento de mais alguma coisa, adoro fazer seminários...
Mas putz, eu odeio estudar.
Na época da escola, eu nunca precisei estudar (com exceção de matemática, por motivos de: não entendo). O máximo que eu fazia era reler minhas anotações um dia antes das provas ou durante o intervalo das aulas. Às vezes, eu descobria que tínhamos prova quando chegava na sala de aula, ao ver meus amigos estudando em desespero. Sempre fui inteligente, aprendi fácil e, consequentemente, muito desligada quanto aos estudos - com exceção de matemática, só pra ficar bem claro.
Eu aprendi a estudar - sentar a bunda na cadeira, ler livros e tentar absorver algo - no cursinho. Ainda assim, num geral eu só lia e grifava as apostilas em cores múltiplas, tomava notas das aulas e pra praticar, pegava provas de vestibulares antigos e resolvia as questões com um grupo de amigos. Estudar, na minha vida, nunca foi sinônimo de aprender, e eu sempre levei isso muito tranquilamente. Sempre pesquisei o que queria aprofundar sozinha, sempre tirei dúvidas e conversei com professores fora do horário de aula (ou após terminar as lições) pra matar curiosidades ou aprender as coisas melhor. Aprendi inglês sozinha, traduzindo músicas, e o pouco de gramática que eu sei foi tirando dúvida com professores em aula.
Até os 18 anos, eu sempre adorei ler. Vale lembrar que eu lia mais de dois livros num mês e que no cursinho, enquanto as pessoas estavam se matando de estudar, eu estava lendo Werther (é, o do Goethe) porque o professor de literatura citou em aula e eu fiquei curiosa pela história que levou vários jovens ao suicídio. Então quando as pessoas diziam que a faculdade era difícil, que tiravam notas baixas, que tinham que ler muitas coisas, eu nunca vi isso como um problema.
Hoje, na faculdade, eu percebo que nunca vi nada disso como problema porque nunca precisei fazer tais coisas. Não precisei estudar pra tirar boas notas. Não precisava prestar contas do que fazia com minhas aventuras de pesquisa e aprendizagem. Não tinha que ler mais do que dois livros num mês. Muito menos 11 textos em dois dias - a exata situação na qual me encontro nesse momento. E adivinhem o que estou fazendo? Post no blog, é claro, porque como citei no início, eu odeio estudar. Eu sinto a importância de ler todos esses textos, fazer todos esses resumos e trabalhos científicos, escrever artigos, elaborar seminários e provas e afins, mas entendam: não é pra mim. E quando as pessoas me perguntam se eu não vou fazer mestrado porque "puxa, mas você escreve tão bem, e o mestrado é tão bom", eu sorrio por fora, mas por dentro questiono a sanidade mental desses indivíduos. Prolongar minha estadia na universidade, ainda que seja "só uma vez por semana", é minha definição de inferno.
Por que eu me enfiei na faculdade? Só pra ter um diploma? Pra alcançar meu objetivo de ser psicóloga? Ou será que eu só não tinha ideia do quão chato seria? Putz. Às vezes me pergunto tudo isso e me sinto idiota, improdutiva, porque os colegas citam aqueles autores famosos e clássicos em aula e eu aqui, chorando sangue pra ler os textos da prova de terça-feira, na qual eu já sinto que vou ir mal. E depois que chegam as notas e eu não tenho nada abaixo de 8, eu me pergunto: por que eu fico tão frustrada e estressada? E sabem qual o pior? É que eu levo a faculdade "nas coxas", quase na mesma vibe da época da escola - estudando em cima da hora, não lendo todos os textos, respondendo provas direto à caneta e em 15min porque tenho certeza de que não vou precisar pensar muito pra colocar o pouco que sei e entendi na folha - e, no fim, eu sempre fico entre os alunos mais bem classificados da turma.
Ah, eu só queria uma vez ter essa disposição de ler texto e estudar que os outros têm...

Marcadores: , ,


By Shana • sexta-feira, 7 de agosto de 2015 • 10 ComentáriosLink to this post


«older newer»