posts shana blog links
+ + +
Que o início de ano traga mudanças!

E a nova tradição deste blog é: começar o ano com um layout aquarelado.
Não, isso é obviamente mentira, mas quais as chances, não é mesmo? Quer dizer, eu só me dei conta da coincidência quando o layout já estava prontíssimo, então preguicei totalmente de pensar em outra coisa pra evitar a repetição. Fora que, dessa vez, a versão conta com todas as cores do arco-íris, o que já deveria ser considerada uma boa variação do layout que eu usei ano passado. Ok? Ok.
Saudações, queridos leitores! Como começou o ano de vocês? O meu já começou com um pequeno stress aqui e ali, mas quem não começa assim na vida adulta né non? Apesar disso, me dei uma semana de folga em janeiro, e tenho aproveitado pra dormir bastante e fazer coisinhas que gosto. Que isso faça com que 2020 seja um ano mais leve e menos maluco na minha vida - já dei meu aviso pra ele no post passado, então 2020 que me respeite e não me faça passar vergonha.
Pra já começar animada, venho com um layout novo! Confesso que demorei um pouco tentando decidir o que eu colocaria no blog no início desse ano, e acabei pendendo pra esse design aquarelado da Futaba e do Kou, de Ao Haru Ride, por causa da música que me inspirou a fazê-lo - o que é uma tristeza, visto que mais ninguém hoje faz layouts com música de fundo, então o propósito dos meus designs se perdeu totalmente. Tudo bem, a gente vai superar essa juntos. ;w;/
Esse layout é a realização da minha vida de designer, porque ele foi inspirado na música Sakura DROPS da Utada Hikaru - minha canção predileta da cantora, para a qual eu nunca consegui fazer um layout bom o suficiente (na minha opinião). Os leitores mais atentos devem notar que ele é bem parecido com o design da terceira edição do Emotion Contest porque, sim eu fiz os dois layouts na mesma época. Resolvi deixar pra usar essa imagem mais tarde, pra não ficar tão na cara e, vejam bem... acabei usando muitos anos depois, risos.

Sendo 100% honesta, eu não sei se estou totalmente satisfeita com o que fiz. O CCS parece muito cheio e muito simples ao mesmo tempo, estou em dúvida quanto às cores dessa versão e quanto a todo o resto sobre ela. Ainda assim, foi o mais perto que cheguei de fazer algo que combinasse com a música da minha musa japonesa, então vamos apreciar essa pequena vitória na minha vida! Aliás, caso você não consiga ouvir a música pelo player, faça o favor e admire esse layout ouvindo ela aqui pelo youtube!
Apesar da grande estrela desse post ser a nova cara do blog, hoje eu queria começar o ano como de costume: lembrando minhas metas pra 2019 e vendo se consegui cumprir alguma delas. Relendo o post que fiz em janeiro do ano passado, já notei que falhei em muitas coisas - mas eu já tinha noção disso, porque 2019 foi um ano cheio de frustração e raivas passadas... Enfim, prossigamos!
A minha primeira meta para o ano passado foi retomar minhas metas literárias, e eu tinha me proposto a ler dois livros. Já falhei aí - isso mesmo, logo no comecinho -, porque só li 1 livro e meio. Não li os livros que me propus também, e acabei ficando com Sangue Estranho (que resenhei aqui no blog) e Penumbra, uma das obras mais recentes do André Vianco, que até onde li (vulgo: a metade) está muito boa. Mas é, a meta em si falhou.
Pra 2020, espero conseguir ler um pouco mais, mas não sei se quero colocar números. Vai que eu me frustro de novo, não é mesmo? Apesar disso, comprei muitos livros legais no ano passado, então espero ler alguns deles! Também iniciei 3 leituras que acabei abandonando, então espero retomar essas também.
Minha segunda meta pra 2019 foi seguir respeitando e lutando pelos meus limites, e confesso que consegui levar isso a sério, mas com muito desgaste. Eu sempre fui o tipo de pessoa que se doa muito pros outros, mas que acaba deixando de cuidar de si mesma pra isso, e descobri que as pessoas à minha volta não ficam muito satisfeitas quando eu digo "não". Apesar disso, o desgaste me fez perceber mais uma vez o quanto me colocar como prioridade é importante, e espero colocar isso em prática em 2020.
Minha terceira meta foi socializar um pouco mais, e acho que essa eu consegui cumprir! Me enturmei mais com algumas pessoas do trabalho, fiz novas amizades e fiquei muito satisfeita com isso. Acho que está longe do ideal, mas pra uma pessoa fechada e anti-social como eu é uma verdadeira vitória - afinal, eu preciso aprender a lidar com meus fantasmas e inseguranças pra que isso aconteça e, embora seja um desafio, é um desafio muito positivo pro meu crescimento pessoal. Que em 2020 eu siga sendo mais sociável, amém!
A quarta meta pra 2019 foi voltar a fazer as coisas que eu gosto, e confesso que falhei um pouco, mas venci um pouco nessa meta. Vendo esse objetivo agora e refletindo no meu ano, eu percebo que ando sem energia, sem vontade e sem inspiração pra muitas coisas, o que tem muito a ver com meu desgaste emocional e psíquico - e isso me faz voltar à minha meta sobre limites, e o porquê ela é tão importante. Apesar de ter falhado ao longo do ano, em dezembro eu consegui ler um pouco, assistir algumas séries e animes e espero conseguir colocar essas coisas em prática com mais frequência, porque meus hobbies geralmente são uma grande indicação de como anda minha saúde mental e eu me sinto bem quando me percebo mais ativa e animada em geral. Enfim! Mais hobbies em 2020, go go go!
Por fim, minha quinta e última meta para 2019 era cuidar mais de mim mesma, no sentido físico mesmo, e eu falhei miseravelmente. 2019 foi o ano em que eu mais fiquei doente em toda a minha vida - eu fiquei até com gripe (que eu nunca pego) e peguei uma suposta infecção/virose em dezembro, coisa que não me acontecia há aproximadamente uns 10 anos, acreditem se quiserem. Infelizmente pra mim, muitos dos problemas que eu tive têm a ver com queda de imunidade e questões relativas a stress, e esse último provavelmente foi o que mais sugou minha energia nesse ano que passou. Levei bronca da terapeuta, levei bronca do médico e até das amigas, mas infelizmente nem tudo depende de mim, especialmente as raivas que eu acabo passando. 2020 vai ser um ano muito desafiador, porque eu estou determinada a passar menos raiva, a xingar mais as pessoas e, com o perdão da palavra, tacar o foda-se para muitas coisas, porque respeitar os outros e me conter acabou virando contra mim. Mas isso é assunto para outro post - o negócio é que falhei numa das metas mais importantes, embora não fosse mesmo minha prioridade - mas ambas as coisas são um problema. Que em 2020 eu consiga me manter mais saudável em todos os sentidos, e que esses problemas psicossomáticos passem longe de mim, amém.
Vendo esse balanço, acho que é seguro dizer que eu falhei em grande parte das metas que eu tinha pra 2019, e eu fico em dúvida se em 2020 eu preciso ser mais firme ou pegar mais leve comigo mesma. Eu sei que foi um ano péssimo pra quase todo mundo - de verdade, não vi ninguém que falou excepcionalmente bem de 2019 -, mas não consigo deixar de me sentir decepcionada com esse cenário. Pra 2020 eu gostaria de ler mais, praticar mais meus hobbies, mudar algo na minha carreira e cuidar mais da minha saúde. Não sei se vou conseguir fazer essas coisas, e ainda não decidi se quero pensar nelas como metas concretas, mas ando com essa sensação de que algo precisa mudar urgentemente na minha vida. Que pelo menos o ano traga boas energias e bons encontros pra facilitar essas mudanças, e que eu escolha caminhos melhores porque, olha, em 2019 eu falhei.
E vocês, leitores? Espero que tenham se saído melhor com os objetivos de vocês do que eu - e que todos possamos melhorar nesse ano que está começando, porque ninguém merece falhar o tempo todo. Que a gente aprenda a pelo menos desviar das rasteiras da vida dessa vez (o que não é muito promissor, visto que começamos o ano com ameaças de guerra e tudo e tal. Tá difícil heim?).
Boas energias eu vos desejo, jovens padawans. Beijinhos, e até a próxima!

Marcadores: , , , ,


Written by Shana | 9 de janeiro de 2020 | 5 Comentários | link to this post



«older home newer»