posts shana blog links
+ + +
Isolada sim, desocupada nunca

Saudações, queridos leitores! Como anda a quarentena de vocês? Eu decidi aproveitar a pausa pré-feriado pra fazer aquele post com a novidades, já que faz um bom tempo que não venho aqui pra tagarelar sobre a minha rotina. Estou um pouco empolgada porque, apesar da situação atual, meus projetos pessoais deram certo, e mesmo com toda essa onda de negatividade 2020 não está me decepcionando tanto assim (o que soa um pouco maluco, visto que estou sem sair da minha casinha desde 18 de Março, se minhas contas estão certas).
A primeira coisa sobre a qual eu queria falar é sobre ter voltado ao trabalho - porque essa coisa de ficar sem fazer nada em casa estava começando a me incomodar. E esse, na verdade, é o meu grande projeto pessoal pra 2020: eu montei um consultório próprio, então agora trabalho pra mim mesma. Infelizmente, como todos devem imaginar, o consultório físico em si está parado em função do afastamento social, mas meu conselho de classe liberou que todas as psicólogas fizessem atendimento individual online caso não fosse factível manter no molde presencial - e como minha mãe está nos grupos de risco e minha imunidade andou baixa no último ano, fiz o cadastro com o CRP-SP e tenho trabalho de casa.
E tem sido tão melhor trabalhar pra mim!
Quando decidi largar meu emprego numa clínica movimentada, no fundo eu fiquei me perguntando se eu estava fazendo a escolha correta. A princípio, meu plano era me dar um tempo pra descansar e ir procurando trabalho em outros lugares. Contudo, alguns pacientes que eu atendia não queriam trocar de terapeuta - e como esses tinham meu contato pra eventuais emergências, me procuram depois da minha saída pra continuar a psicoterapia comigo. Na época eu estava procurando salas com aluguel por hora, e estava desesperada porque não conseguia encontrar lugares que tivessem valores plausíveis e fossem acessíveis aos meus pacientes. Foi quando, por algum motivo aleatório, eu me lembrei de uma imobiliária aqui na região e resolvi arriscar e perguntar sobre o aluguel de salas comerciais. Daí pra frente foi uma surpresa atrás de outra: pra encurtar a história, tinha uma sala aqui na minha região super em conta e, como eu já tinha planejado a minha saída há alguns meses, minhas finanças estavam em ordem, o que quer dizer que consegui alugar e mobiliar a sala sem me colocar em nenhuma dívida.
Por um lado eu fiquei meio estática, porque nunca imaginei que isso seria possível tão cedo na minha carreira - quer dizer, eu peguei meu diploma e fiz meu registro em 2017, então nunca sequer imaginei que estaria trabalhando de maneira independente três anos depois. Mas aconteceu - e mesmo com os tropeços da quarentena, tenho atendido por videoconferência e tem dado certo. Acho que a ficha vai cair um pouco mais quando eu puder usar a sala e receber os pacientes por lá, mas acreditem se quiserem: estou trabalhando bem menos, mas já ganho quase o equivalente ao que recebia no espaço anterior. E meu stress é quase nulo, porque agora sou eu quem lido com todas as questões burocráticas e determino como resolver as coisas. Embora não fosse um sonho em si, é uma conquista imensa pra mim - eu finalmente posso trabalhar com o que eu amo sem o desgaste que vinha sentindo no último ano, e apesar de ainda me sentir um pouco instável, sou uma profissional independente e isso me dá tempo e ânimo pra me dedicar em aprimorar minha formação e fazer os voluntariados que eu tanto gosto (estou inclusive fazendo um da USP agora, e estou mais realizada do que me senti em meses!)
Além da melhora profissional, também tive algumas mudanças positivas em outras questões. A primeira delas é que tendo mais tempo, eu tenho conseguido me alimentar melhor - e com isso descobri que eu possivelmente tive uma gastrite nesse último ano que eu nunca tive tempo de tratar ou ao menos fazer um diagnóstico definitivo. No momento não tenho como procurar uma especialista pra confirmar essa hipótese, mas meu estômago tem estado bem sensível nos últimos meses e agora, me alimentando de maneira mais leve e saudável, tenho me sentido muito melhor. Pesquisei algumas coisas por conta própria por enquanto e tenho seguido algumas restrições pra ver se ajuda - tem vários problemas gastrointestinais que se originam por stress elevado, então pode ter acontecido um monte de coisas com meu corpo que eu nunca tive tempo e grana pra cuidar até então. De qualquer forma, já percebi o que tem me causado mais mal-estar, e atualmente precisei diminuir (ou cortar totalmente) os embutidos, carne vermelha e coisas mais ácidas/gordurosas. O lado bom é que minha mãe e meu irmão decidiram aproveitar a quarentena pra emagrecer, e os dois aderiram à dieta saudável, o que facilitou muita coisa pra mim, hahaha!
Além das mudanças na dieta, tenho conseguido me exercitar todos os dias em casa - na verdade, tenho feito caminhadas, porque minha mãe aproveitou a quarentena e o dinheiro guardado e comprou uma esteira ergométrica, usada mesmo. É um trambolho, e tivemos que reorganizar um pouco a casa pra arrumar um lugar pra ela, mas tem ajudado pra caramba a diminuir as dores que eu tenho pelo corpo. Diferentemente de outros exercícios que eu vinha testando (aeróbicos, basicamente), a esteira me cansa bem menos e também me traz menos efeitos colaterais (embora minha mãe e meu irmão se queixem constantemente de dores depois de andarem/correrem alguns minutos). Apesar desse momento caótico, meu ano está sendo bom na medida do possível - as paranoias e irritações cotidianas causadas pela pandemia são facilmente controláveis com a terapia, então dá pra dizer que está tudo bem nesse instante, hahaha!
Por fim, apesar de uma rotina consideravelmente ocupada com o trabalho e o voluntariado, tenho conseguido tempo pra fazer uma série de coisas - entre elas deixar o blog atualizado, coisa que me deixou muito entristecida no ano anterior porque nunca dava certo, mesmo que eu me organizasse. Também tenho conversado mais com o pessoal da blogosfera, principalmente pelo chat do Together, o que tem deixado minhas semanas mais divertidas também ♥ Mesmo com todo esse transtorno tenho conseguido ver aquela luz que nunca se apaga, e os dias tem sido mais gentis. Só espero que as pessoas sejam mais compreensivas com o momento que estamos vivendo, respeitem as medidas de saúde e que tudo se resolva da melhor forma possível.
Enfim, isso é o que tem rolado na minha vida atualmente. Espero que essa onda de boas energias se espalhe pra mais gente além de mim, e que todo mundo possa sobreviver a esse momento difícil e sair dessa quarentena melhor do que entrou. Beijinhos a todo mundo que leu até aqui, e até a próxima! o/~

Marcadores: ,


Written by Shana | 30 de abril de 2020 | 3 Comentários | link to this post



«older home newer»