posts shana blog links
+ + +
Together | De onde viemos e onde estamos

Saudações, queridos leitores! Espero que estejam todos bem, saudáveis e cuidado de si mesmos como possível ♥ Eu não tenho muitas novidades - a vida não tem trazido muita coisa diferente na minha rotina, então estou fazendo o que andei fazendo em todos os outros posts em que falei de mim, basicamente.
Já que não tem nada de novo acontecendo, supus que podia rolar então um flashback: motivada por uma conversa que tive com a Moh e a Helo no discord, me dei conta de que muitas pessoas me perguntam sobre a história do Hishoku, mas nenhuma vez eu falei muito sobre o que eu fiz na internet antes dele. E acreditem, embora fosse coisa de um ou dois anos, eu já sou velha nessa internet e posso dizer que quando eu cheguei isso aqui era tudo mato. Então resolvi aproveitar o tema da blogagem desse mês no Together pra desbravar meu passado e falar da minha trajetória blogueira!

Do começo: como eu cheguei na internet? 
Nos primórdios, meu primeiro contato com um computador rolou quando eu tinha mais ou menos uns 8 anos. Era um daqueles PCs de tubo, que eram brancos mas ficavam amarelos com o tempo. Só tinha internet discada e eu passava a maior parte em joguinhos educativos da Xuxa e da Turma da Mônica que meu pai comprava pra mim. Mas quando a gente finalmente teve um plano de internet - eu já tinha uns 10 anos, daí - meu pai me ensinou a usar o google e a procurar imagens dos meus animes favoritos.
EU. AMAVA!
Passava horas e horas vendo imagens de Sailor Moon e Sakura Card Captors. Aprendi a fazer pastas no HD e ficava maravilhada com como a minha coleção aumentava - de vez em quando, quando meu pai colocava tinta na impressora, ele deixava eu imprimir uma imagem ou outra pra eu colocar no meu quarto, imprimir desenhos dos meus animes preferidos pra colorir e coisas do tipo. Foi mais ou menos nessa época que eu conheci o House Sakura - um fansite sobre Sakura Card Captors, e eu fiquei tão empolgada que decidi: eu quero fazer meu próprio site!


Choraminguei pro meu pai e ele caçou na internet um tutorial pra mim sobre como fazer páginas no Front Page - o editor de web do office. Munida de cerca de 10 páginas impressas, criatividade e o bom e velho paint, eu fiz o meu primeiro site na internet. Na época eu não fazia ideia de como a internet funcionava, e aí logo descobri que nem todo mundo conseguia ver o meu site - ele só estava salvo no meu computador. Meu pai perguntou pra um primo nosso, que era o cara que manjava das coisas, e ele me ensinou o que era um hospedeiro e cedeu uma conta da globo.com pra mim.
Com 10 anos, eu hospedei no finado Kit.Net o meu primeiro site: um fansite de Sakura Card Captors, que era um fundo rosa-bebê com um banner retangular da Sakura no topo e várias páginas internas com perfil das personagens, imagens e outras atualizações. Pouco tempo depois, ainda fiz mais ou site sobre Sailor Moon, que lembro até hoje: uma página verde-escura com essa imagem da Sailor Júpiter no topo. Eventualmente eu comecei a aprender várias coisas, como colocar música de fundo no site, hospedar as imagens e páginas pra que outras pessoas vissem meus esforços - eu ficava feliz da vida quando as pessoas vinham nos visitar e eu podia abrir o navegador e mostrar pra elas que eu tinha um site de verdade, que funcionava na internet!
Eventualmente, em uma dessas visitas, uma prima me contou que ela também tinha um site, mas que na verdade chamava blog. Ela então me mostrou o blog dela, me explicou como tinha vários sites chamados "template shops" onde você podia pegar as coisas pra decorar o seu blog, e que ele era um diário virtual e as pessoas podiam ler o que você escrevia e comentar.
Eu achei o maior absurdo na face da terra: qual o SENTIDO em fazer um diário virtual que todo mundo pode ler??? Eu já tinha meus diários em cadernos bonitinhos, e não tinha sentido nenhum em falar de você e da sua rotina na internet, qual é!
Mas ah, os template shops... Ai, os template shops!
E iniciava-se minha trajetória na blogosfera! 
Essa parte eu já contei por aqui no blog: depois de encontrar os sites que forneciam coisas para blogs - templates, calendários, relógios, gifs e plaquinhas e outras coisas - eu comecei a me apaixonar por essas coisas. As tardes que antes eu passava caçando imagens de anime, passei a gastar procurando as coisinhas que os blogs usavam: eram gifs fofos, avatares, plaquinhas piscantes, e tinha pra todos os gostos!


Eu passava horas e horas e mais horas procurando sites como o Vicky's Place, o Thomoeda, o Yume Kawaii entre outros template shops - como o By Marina e o Templates by Maximus. Fosse algo mais voltado pra quem gostasse de anime ou mesmo sites pessoais com muito glitter, eu estava lá entre várias e várias páginas salvando todas as coisas bonitinhas que eu encontrava pela frente no meu computador!



Eu passava tanto tempo me investindo nisso que, num dado ponto, eu comecei a me questionar o que eu ia fazer com todas aquelas coisas. Todos os gifs e mensagens fofas, todas as plaquinhas e, principalmente, os blinkies. Eu era absolutamente apaixonada pelos blinkies, e eu queria muito poder usá-los em algum lugar.



Enfim, eu me decidi: eu queria ter um blog! E eu queria decorar ele todinho - eu queria colocar templates bonitos, eu queria colocar meus blinkies, eu queria postar mensagens e plaquinhas piscantes e tudo o mais que a blogosfera tinha pra me oferecer! Foi com isso em mente que eu criei o meu primeiro blog, o Flor de Cerejeira.
Lá no começo da história eu falei sobre como meu primo me cedeu uma conta na globo.com, certo? Pois bem nessa época, a marca comprou o Blogger - que não é esse que nós conhecemos, é o Blogger Brasil, que surgiu lá nos primórdios dos anos 2000 e nos fez diferenciar "Blogger" de "Blogspot" por muitos e muitos anos. Foi ali que eu dei os meus primeiros passinhos, aprendi a usar todas as coisas fofas de template shop e, principalmente: foi ali que eu comecei a aprender o que era HTML.


Cliquem nas imagens pra ver no tamanho original!

O meu primeiro blog era uma total vergonha. Pra começar que o endereço dele era estupidamente longo (flordecerejeirablog.blogger.com.br) e, como se não bastasse, eu escrevia todo tipo de coisa aleatória com uma boa dose de erros ortográficos e um português de dar vergonha pra acompanhar. Eu não tinha muita noção se alguém estava lendo meu blog, mas eu batia altos papos sozinha - e no início e final de cada post sempre tinha uma plaquinha piscante, uma mensagem, uma foto de anime ou um gif qualquer. Eu certamente não entendia, com meus míseros 10 anos de idade, qual era a proposta de escrever num blog - mas eu podia usar todos os meus gifs e blinkies bonitinhos, e isso já me deixava feliz.
Só pra constar: meu primeiro blog tinha aproximadamente uns 50+ blinkies na barra do perfil, e eu achava a coisa mais linda aquele monte de selinhos piscantes. Eventualmente eu me dei conta de que ele precisava ser mais limpo e fui arrumando essas coisas.
No blogger eu tive 3 blogs - o Flor de Cerejeira 1, o Flor de Cerejeira 2 (que foi criado quando eu matei o primeiro ao fuçar no HTML dele, e foi onde eu criei a consagradíssima url "biamm", que me acompanharia até meu primeiro hostee em 2006) e o "Kagome and Inuyasha", que era um blog específico pra eu falar do meu OTP da época, postar fotos e surtar depois de cada episódio de InuYasha que eu via no Cartoon Network.
Pouco tempo depois, acabei perdendo minha conta na globo, e perdi o acesso ao meu blog. Desisti dele e decidi seguir em frente - na época os blogs estavam muito em alta, e todo provedor oferecia seu próprio serviço. Foi assim que eu tive minha passagem rapidíssima no Blig, que era o serviço que o Ig oferecia, e foi ali que eu criei o embriãozinho do Hishoku no Sora: o primeiríssimo "Blog da K@gome", com a criativíssima url "biamm.blig". A passagem foi rápida, pois cerca de 1 mês depois dessa experiência, o blig fechou o acesso à HTML só para assinantes - e um blog que eu não podia personalizar era um blog completamente inútil pra mim. Migrei então pro provedor que a maioria esmagadora da blogosfera usava: o Weblogger, do Terra.
Ali, em 27 de Março de 2004, nasceu o Blog da K@gome, que 2 anos depois mudaria de nome e iria se tornar esse blog que vocês conhecem hoje. Foi lá que eu vivi a melhor parte da minha vida na blogosfera - eu trocava meu layout mensalmente, postava todos os dias no blog, ganhei meu primeiro concurso (em 1º lugar, ainda!), aprendi as artimanhas do HTML e até comecei a fazer minhas primeiras edições de imagem no paint e photoshop. Ali foi a primeira vez que um blog meu fez aniversário, foi onde aprendi o conceito de páginas internas (e fiz minhas primeiras páginas, em Pop-Up, no geocities.yahoo), participei do Condomínio das Otakus, fiz amigas e me apaixonei por completo pela blogosfera.
Mal sabia eu onde diabos eu tava me enfiando, 16 anos atrás...
As mudanças: de Blog da K@gome à Hishoku no Sora!
Quando eu fiz 12 anos, minha vida virou de cabeça pra baixo. Mudei de cidade, perdi contato com meus amigos e por uma série de razões, comecei a deixar de gostar tanto de InuYasha. Eu já não me identificava mais com a Kagome Higurashi, personagem que inspirou meu nickname, e queria alguma mudança positiva na minha vida. Nessa época os blogs bobos e "kawaii" começaram a fechar - pois grande parte das blogueiras famosas e que eu acompanhava estavam chegando em seus 16, 17, 18 anos - e em seus lugares vieram os domínios, os hostees, os concursos e os blogs com nomes cheios de significado. Eu comecei a me sentir imatura por manter um nome relativamente bobo no meu blog, comecei a amadurecer um pouco e, por fim, fiquei insatisfeita com como o BDK estava.
Foi mais ou menos nessa época, em 2006, que eu esbarrei com essa imagem da Shana enquanto procurava imagens de "Anime CG" na internet.Logo descobri que se tratava de um anime, e comecei a caçar imagens da personagem loucamente. Ainda nessa época eu descobri o Youtube, que estava dando ali seus primeiros passinhos, e eu me viciei completamente na trama de Shakugan no Shana - assisti as aberturas, os encerramentos, AMVs diversos e finalmente criei coragem pra pedir ao meu pai que deixasse eu instalar o Real Player pra baixar e ver o anime. Naquela época todos os fansubs só disponibilizavam seus arquivos pra Real Player, e eu levei semanas pra explicar isso pro meu pai e convencê-lo a me deixar instalar o dito cujo.
Se eu já estava apaixonada pela Shana sem conhecer direito a história, mergulhar dela só me deixou ainda mais admirada com a personagem. Essa era a garota que eu queria que me representasse - uma menina forte, determinada, que chutava as bundas dos inimigos sozinha e não precisava que ninguém a salvasse o tempo todo. Ali, em 2006, eu deixei de ser K@gome-chan pra virar Shana.
Só tinha um probleminha técnico: como eu ia mudar de nickname, se o nome do meu blog era literalmente o meu nickname?
Depois de muito ponderar, com a ajuda de algumas amigas, eu pensei muito e decidi que não queria fechar o BDK. O nome dele já não significava nada pra mim, mas aquele era o meu blog. Toda a minha história estava ali - faziam poucos meses que eu tinha mudado o blog pro servidor da UOL, o zip.net, ele tinha acabado de completar 2 anos e eu não queria deletar as coisas e fazer um blog novo. E aí eu me dei conta: pô, se o blog é meu, eu faço o que bem entender com ele, certo? Isso inclui mudar o nome do blog!
Em 2006 eu mudei o layout do meu blog pra uma versão de Shakugan no Shana, e apresentei meu novo nick e o novo nome do meu blog aos meus leitores: a partir de agora, eu era Kawasumi Shana, e meu blog se chamava Hishoku no Sora. Graças ao meu anime favorito, eu me sentia renovada, empolgada e finalmente alguma mudança na minha vida era algo que eu realmente tinha desejado. Nossa história continuava a mesma - posts estavam lá, a url era a mesma e eu estava plenamente satisfeita.


Poucos meses depois, uma das minhas melhores amigas - a Anna, Annie, Yuuko - resolveu comprar um domínio pro blog dela. E como na época éramos melhores amigas, a primeira coisa que ela fez foi me contar, e me dizer que queria muito que eu fosse uma das hostees dela. Basicamente, ela ia ceder um pequeno espaço no domínio dela pra eu fazer o meu blog. Eu obviamente fiquei estática - meu blog??? Num domínio??? Receber o status de um hostee? É CLARO QUE EU ACEITEI!
Na época contei com a ajuda de outra amiga muito querida, com quem falo até hoje - a Becky, que vai aparecer de novo daqui a pouco - que me ensinou a usar iframes (um recurso super velho pra você fazer páginas abrirem dentro de outra página, basicamente, sem sair da página principal), pra que eu tivesse um blog chique e digno de ser um hostee. Eu fiquei empolgadíssima, fiz um layout verde da Shana e quando menos esperei, lá estava meu blog: o hishoku.taiyou-no-hana.com. Agora que eu sabia iframes, eu podia fazer layouts diferentes, mais chiquetosos, e de tanto praticar no photoshop o meu design estava cada vez melhor. Eu finalmente me sentia uma blogueira de respeito, como todas aquelas meninas do Condomínio das Otakus que eu admirava tanto. Até fazer gifs eu sabia!!! Mesmo que fossem só as palavras piscando de uma cor pra outra, agora eu sabia tudo!!!
Aí a Anna fechou o domínio dela de repente, sem me avisar, e eu fiquei desesperada. Comentei com a Becky que meu blog não tinha mais estrutura pra um hospedeiro gratuito, porque eles ofereciam pouquíssimo espaço, e que eu tinha vergonha de pedir pra alguém me ceder um hostee em outro domínio. Eu estava chateadíssima e não sabia o que fazer. Até que a Becky me disse: você não quer ser minha hostee?
Se eu surtei?


Embora o blog da Becky nunca tenha sido um desses domínios 'pomposos' que hospedavam a elite da blogosfera e copiavam os portais dos blogs gringos, ela tinha um domínio e era uma amiga muito querida (ainda é, aliás!). Eu fiquei hospedada no domínio dela de 2006 à 2012 - inicialmente no blackberry-field.com, e mais pra frente no skywilling.com, quando ela resolveu mudar o nome do blog dela. Eu cresci no domínio da Becky - foi lá que fiz meus primeiros contests e awards, foi lá que meu blog passou a ser mais conhecido pelas pessoas, foi ali que eu aprendi mais e mais sobre HTML e design em geral. A Becky foi provavelmente a maior apoiadora do Hishoku, e foi no domínio dela que eu vivi a melhor época do meu blog.
Perto de 2012, a Becky decidiu fechar o domínio, porque já não blogava mais, e eu só podia mesmo entender e me sentir grata por toda a ajuda que ela me deu - desde a me ensinar iframes até a hospedar meu blog por 6 anos, sem nunca pedir um centavo por isso. Foi um prazer imenso ser hostee da Becky por tanto tempo, e eu só tenho boas lembranças dessa época!
E daí, o que aconteceu?
Em 2012 a blogosfera já não era mais a mesma. Não tinha mais domínios e hostees, não tinham mais condomínios, concursos e awards a rodo, e nenhuma das blogueiras com quem eu papeava e trocava comentários continuava 100% na ativa. Eu decidi que, já que as coisas tinham mudado, eu precisava me atualizar. Consegui caçar na internet alguns template shops que ainda disponibilizavam alguns layouts, fiz uma conta no Blogger (agora esse, que eu uso até hoje) e dei um jeito de usar os códigos antigos pra fazer alguma coisa. Ali eu criei o lugar onde estamos hoje - o hishoku-sora.blogspot. Foi difícil achar onde hospedar minhas páginas internas, mas eu me virei. Já não trocava mais meu layout todo mês, mas continuei blogando. Mesmo com a faculdade chegando, mesmo indo morar em outra cidade a 700km de distância da minha, mesmo desbravando a vida adulta: eu bloguei. E há 16 anos que eu continuo por aqui, firme e forte, mantendo o Hishoku ativo da maneira que eu consigo.

Depois disso vieram algumas coisas que vocês já lembram - o Projeto Senbonzakura, que surgiu no meio de uma noite nostálgica na internet e me permitiu redescobrir a blogosfera e tantas pessoas com quem ainda converso e troco comentários; o Hatsukoi Awards e o renascimento do Emotion Contest, que ressurgiu das cinzas pra trazer um gostinho da antiga blogosfera para os dias de hoje. Por fim, depois de toda essa caminhada eu criei o Together, que começou como uma ideia despretensiosa, mas que está completando seus 3 anos nesse mês e deu origem a essa postagem. Foi uma viagem e tanto, mas o que importa é ter conseguido se manter por aqui. Da menina de 10 anos que não via sentido nenhum em diários virtuais à adulta, de 27, que não consegue imaginar a própria vida sem o blog dela fazendo parte disso.
Essa foi a minha trajetória, queridos leitores! A postagem é enorme, mas convenhamos: com 16 anos de blogosfera nas costas é muita história pra contar, né non? Eu vou parando por aqui - um beijo pra quem leu tudo, e até a próxima! o/~
Esse post faz parte da blogagem coletiva de Junho do Together - um projeto para unir a blogosfera! -, cujo tema era "contar sua trajetória na blogosfera".

Marcadores: , , ,


Written by Shana | 6 de junho de 2020 | 5 Comentários | link to this post



«older home newer»