posts shana blog links
+ + +
Aquele post fotográfico #9

Até eu estou estranhando o quão atualizado meu blog está nesse ano, e olha que quem escreve as atualizações sou eu. Quanta produtividade, queridos leitores! Mas a surpresa não supera minha satisfação com toda essa eficiência, afinal, uma das minhas metas pra esse ano era justamente manter o blog mais ativo, e considerando que já estamos entrando no sétimo mês do ano, a missão até agora foi um sucesso ♥ Espero que todos estejam animados como eu, mantendo vossas mentes ocupadas e a saúde mental em dia, que isso é o mais importante.
Esse mês eu consegui colocar um monte de coisas em prática, também consegui comprar vários itens da minha wishlist pessoal (que eu preguiço de colocar aqui no blog, porque estou sempre colocando e tirando coisas) e comecei um "novo" hobbie, então dá pra dizer que as coisas têm dado certo pra mim. E é basicamente sobre todas essas coisas que eu vim falar hoje, porque eu adoro tagarelar sobre as futilidades da minha rotina e vocês adoram ler, todos saem ganhando. :B E já que tenho muita coisa pra compartilhar, nada melhor do que tirar ele da gaveta, o queridinho dos leitores, aquele post fotográfico (que não rola aqui há pelo menos um ano, olha só!)
Pra começar, deixa eu valar pra vocês do maior acontecimento desse mês pra mim: eu comprei um celular novo! ♥


Pra quem está perdido, vamos de contexto: a última vez que troquei de celular foi em 2016, quando minha mãe me deu meu Lenovo Vibe C2, do qual falei bem empolgada aqui no blog. E eu amava meu celular antigo - tinha o que eu precisava e mesmo ficando desatualizado, obsoleto e com pouco espaço, eu não deixei de amá-lo nem por um segundo. Quando ele começou a travar, após 2 anos de uso constante, todo mundo fazia o desfavor de me lembrar que a vida útil de um smartphone é de 2 a 4 anos, que logo eu ia precisar de um novo e etc, etc - mas eu não deixei esses haters abalarem minha relação com meu companheiro eletrônico. Até que, lá pra março, ele começou a travar real oficial, de a tela congelar e nem apertar o botão pra apagá-la funcionava. Foi nessa hora que eu olhei pra mim mesma com a maior sinceridade e me disse: mano, fudeu.
Foi por isso que, desde quando comecei a atender por contra própria, eu comecei a guardar meu dinheiro. Meu maior desespero era meu pobre celular morrer de vez e eu não conseguir me organizar a tempo de comprar um novo - imaginem??? Ficar sem comunicação e joguinhos em plena quarentena?!
Foram muitas pesquisas tentando encontrar algo que se encaixasse no meu orçamento, que tivesse melhorias (já que ia trocar, que fosse por um modelo superior, ao menos) e que me agradasse em termos estéticos e práticos. Já estava choramingando ao perceber que meu Lenovo travava mais e mais a cada dia e nada de eu achar um modelo que me se encaixasse nos meus critérios. Até que semana passada minha mãe me chamou e disse que o Carrefour estava com promoção nos smartphones. E pensei: bom, a esperança é a última que morre, né? Vou dar uma olhadinha, vai que.


E ainda bem que eu olhei, porque foi nesse dia mesmo que eu encontrei o Zenfone MAX M3 da Asus. O modelo era lindo na foto, tinha todas as especificações que eu estava procurando e eu já conhecia um pouco da marca - em parte pela popularidade deles no meio de computadores, mas também porque um conhecido já tinha comprado e me mostrado um aparelho deles há alguns anos. Quando vi que o modelo estava com quase R$ 300 de desconto se eu pagasse por boleto e que eu tinha o valor em mãos, não pensei duas vezes: bastou uma rápida comparação com outros modelos no Tudo Celular pra ter a certeza que eu precisava, e em 5 dias meu novo aparelho estava nas minhas mãos ♥
O Max M3 é um modelo novo da Asus, que entrou esse ano no mercado brasileiro e é uma versão repaginada e melhorada de outro modelo da marca. Tem bastante espaço de armazenamento, boa memória e excelentes câmeras - tudo o que eu prezava no meu aparelho antigo, mas melhorado. Apesar das boas especificações, a maior vantagem do modelo pra mim até agora é o fato de o Android da Asus ser total e absolutamente personalizável - dá pra tirar tudo o que me irrita e, o que eu não gosto ou prefiro de outra forma, posso simplesmente configurar para o meu gosto. Até fonte cursiva no sistema eu posso colocar se quiser (mas me abstive, achei muita cafonagem daí HAHAHAHA)! O modelo ainda conta com bateria de 4000mAh (É PRA LOUVAR DE PÉ) e o sistema é o Android 8.0 Oreo (embora alguns sites digam que vem com o 9.0 Pie), e até o momento zero frustrações com o celular - embora não tenha player de música nativo, consegui uma versão bem parecida com o que eu usava na Play Store, então tudo resolvido.


Por fim, o MAX M3 tem três opções de cor: preto, vermelho e dourado. A versão vermelha, na verdade, é um degradê de vermelho com preto, mas acabei pegando a dourada porque estava afim de um celular mais clarinho. Fiquei um pouco curiosa com a cor dele, no entanto, porque ele parece cor-de-rosa nas fotos de divulgação, e comecei a suspeitar que talvez ele tivesse um subtom meio rosado.
Pois eu estava era bem certa: assim que abri a caixa, deparei com esse amorzinho Rosegold. É difícil capturar o real tom do meu celular pelas fotos, pois dependendo da luz ele fica mais dourado, mais rosado ou até meio prateado. Eu diria que é um rosegold bem claro, com um subtom frio, e eu me apaixonei qualquer que seja a cor dele HAHAHAHA! Já até jiminzei meu novo companheiro de fanfics e joguinhos ♥
Fiquei super satisfeita com essa aquisição - principalmente porque é um dos primeiros investimentos que faço com dinheiro que eu mesma ganhei, trabalhando por conta própria, e paguei tudo à vista. Além de ser algo que eu de fato estava precisando, consegui dar conta da necessidade sozinha, e pra mim ficou também como um certo lembrete de como minha carreira está vingando de uma forma ou de outra. Enfim, fiquei feliz, HUAHUAHSUAHUS!


Outra coisa que rolou esse mês foi meu recém-criado vício em washi tape - fitas em papel de arroz, que conseguem ser leves, delicadas e resistentes ao mesmo tempo, perfeitas pra decorar e fazer montagens pela facilidade em serem colocadas, tiradas e reposicionadas sem danificar o papel.
A coisa começou com uma certa vontade em fazer alguma coisa à mão, que me ajudasse a passar o tempo, empregar minha criatividade, mas que também fosse útil. Por algum motivo, acabei esbarrando designs fáceis de cartões com washi tape na internet, e daí pra frente foi um investimento infinito, basicamente, hahahaha!


Todo ano, em dezembro, eu envio cartões de natal para os amigos mais próximos - ou que permaneceram mais presentes pra mim ao longo dos 365 dias passados. Os primeiros designs com os quais esbarrei acabaram sendo justamente os natalinos, e como eu já tinha duas fitas adesivas temáticas (que comprei em dezembro passado porque achei fofas e achei que nunca ia usar), decidi começar redecorando alguns cartões que eu tinha em casa. Sempre compro de pacote, porque geralmente envio vários, e resolvi redecorá-los para não desperdiçar - dar um toque mais pessoal pra eles, por que não? ♥


Logo eu percebi que tinha gostado da coisa, e que fazer algo manual tinha me deixado mais animada. Acabei comprando vários tipos de papel, cola, fitas adesivas, régua e afins e comecei a criar alguns cartões do zero. Fiz vários modelos e ainda tenho muitas outras ideias pra testar, hahaha! Isso sem falar das várias encomendas que estão chegando em semanas diferentes, porque não me atentei a de onde eram os vendedores dos quais estava comprando, basicamente XD
Faziam muitos anos que eu não fazia mais nada artístico manualmente - poucos sabem, mas eu sempre gostei de desenhar desde criança, e minha rotina até os primeiros anos da adolescência incluía muitas horas sentada na minha escrivaninha, desenhando. Com os anos fui deixando de lado, e quanto mais velha eu ficava, menos meu corpo me permitia ficar horas e horas debruçada na minha criatividade. Foi bem gostoso retomar isso de alguma forma, embora nessas semanas eu tenha voltado a sentir as dores nas costas e no corpo de ficar tempo demais sentada - mas ok, nada que uns dias de repouso e preguicinha não resolvam eventualmente ♥


Esse mês ainda teve direito a uma festinha junina particular aqui em casa! Depois de ver um vídeo do Diva Depressão a respeito, fiquei pensando no quanto eu ia sentir falta de não comer uns docinhos e comidinhas temáticas de arraiá, e comentei com minha mãe que seria legal se a gente comprasse algumas coisas e fizesse nossa própria celebração. Ela adorou a ideia, e munida dos meus materiais recém-comprados e um pouco de boa vontade, fiz até decoração pra nossa festa!


Pra nossa segurança, aqui em casa temos comprado tudo online pelo Carrefour - é um pouco chato borrifar álcool nas caixas e sacolas, mas acaba valendo a pena visto que só minha mãe dirige e não queremos que ela saia de casa. Compramos só as coisas que estávamos mais afim de comer, então nosso cardápio contou com vinho quente, pé de moleque, paçoquinhas, uma torta de salsicha com queijo (porque ficamos com preguiça de fazer cachorro-quente), pipoca, pinhão e bolo de fubá cremoso. Obviamente não comemos tudo, mas bastou uma playlist temática pra que o jantar virasse uma verdadeira celebração ♥ Foi bem gostosinho e, embora não fosse um arraiá "de verdade", serviu pra matar a vontade.


Por fim, eu não posso deixar de mencionar os presentes lindos que eu ganhei da Helo esse mês! ♥ Principalmente porque, além de dois icons fofos (um que usei hoje no começo do post, inclusive), ganhei um desenho da minha personagem favorita - é o não é pra se sentir querida, minha gente? Já admiro secretamente os desenhos da Helo faz um bom tempo, e fiquei me sentindo toda-toda por ela ter gastado tempo e energia pra me dar um presente tão lindo ♥ Já a agradeci em outros momentos, mas achei que valia a menção honrosa aqui no blog (e claro, ostentar a arte que eu ganhei uwu/ Tenham inveja, queridos leitores, que é pra poucos viu? HAHAHA!)

E foi assim que meu mês se desenrolou. Estou satisfeita que consegui sair um pouco da mesmice e incluído atividades novas no meu tempo livre - isso sem falar dos meus planos e metas pra 2020, que eu não perdi de vista e já revisitei nesse final de semana pra dar cabo de tudo o que eu planejei. Tenho alguns temas sobre os quais estou enrolando para escrever, e quero tentar colocar tudo em prática ainda esse mês, se possível. Posso dizer que fiquei menos injuriada com meu isolamento, e já combinei até algumas atividades (virtuais, obviamente) com algumas amigas pra dar conta da saudade e da carência de rolês, hahaha! Ainda estou lidando com essa culpa de estar conseguindo lidar bem com o caos em comparação a tanta gente que está sofrendo com o isolamento e com a pandemia - mas, no fim do dia, a gente precisa fazer o melhor que pode com o que a vida nos permite, e eu sinto que tenho conseguido.
Por fim, queria comentar que fiquei muito surpresa com o quanto meu texto sobre insônia mobilizou vocês, hahaha! Espero que todos que leram tenham a noção de que foi um desabafo em um momento de frustração e que, apesar do saco que é ter insônia, eu convivo com ela da maneira mais funcional possível. Obrigada a quem se dispôs a compreender e comentar, tho ♥ Por hoje eu encerro aqui - uma boa semana a todos vocês, queridos leitores, e até a próxima! o/

Marcadores: , ,


Written by Shana | 29 de junho de 2020 | 4 Comentários | link to this post



«older home newer»