invitation
Saudações, visitante! Neste momento, você se encontra no Hishoku no Sora, um blog pessoal sem fins lucrativos. Aqui se fala de tudo um pouco, então fique à vontade!
A versão atual é inspirada no filme Corpse Bride, de Tim Burton - estrelando a protagonista Emily ♥

something blue
Kawasumi Shana, 24 anos e contando +1 todo dia 7 de fevereiro - logo, sou toda aquariana. Adoro música, mangás, animes, filmes e livros. Odeio insetos, injeções e filmes de terror, sou criativa e contraditória, possivelmente tenho um parafuso a menos - mas juro que sou legal. Ou não. more?

something borrowed


Follow

something new

something old

you may kiss

 
Hishoku no Sora
Google Chrome | 1366x768
Um adeus a Chester Bennington

20 de Julho de 2017 tinha tudo pra ser só mais um dia comum, em meio a muitos dias comuns. Dizem ser o dia que celebramos a amizade, embora não haja nenhuma festividade real ou algo assim. Mas no meio da tarde, eu recebi essa péssima, péssima notícia: de que um pedacinho do meu coração já não estava mais entre nós.
No dia 20 de Julho de 2017, nós perdemos Chester Bennington, o principal vocalista da banda Linkin Park. Pra mim não foi só a perda de um vocalista, no entanto - foi a perda de um símbolo. De uma voz que me guiou e esteve comigo por muito tempo, em muitos momentos.
A primeira vez que ouvi falar do Linkin Park foi em 2004, quando a banda realizou um show em São Paulo. Estava lendo uma song-fic com algumas letras da banda e, curiosa, pesquisei na internet. Me apaixonei na hora - o rap mesclado à melodia, a intensidade das músicas, as letras fortes... Mas, mas do que tudo, o que me pegava muitas vezes eram os gritos - a voz gritante de Chester Bennington.
Sometimes solutions aren't so simple
Sometimes goodbye's the only way
Shadow of the Day - Linkin Park
Quem acompanha esse blog sabe que eu evito entrar em assuntos muito pessoais, mas eu já mencionei aqui algumas dificuldades, como a depressão que enfrentei com muito custo durante a adolescência, e que de vez em quando aparece pra dar aquele alô. Em suma, passei por coisas, muitas coisas, das mais ordinárias às mais difíceis, e talvez a pior parte tenha sido conter tudo isso sozinha. Se houve algo que me impediu de surtar de vez, numa intensidade desastrosa, foi certamente a música, e eu não uso de eufemismos ao dizer que a música é uma parte crucial da minha vida. E justamente nessa época mais turbulenta, difícil e desesperançosa, onde o mundo todo queria me calar, havia alguém que gritasse por mim. Havia a voz de Chester Bennington pra aliviar o meu desespero.
Nunca fui a fã de ter pôsteres na parede, ou de pesquisar sobre meus ídolos, ou mesmo de acompanhar as pessoas que admiro na mídia e nas redes sociais. Eu gostava da música. Ela me dava força. E foi com pesar que eu recebi a notícia dessa morte, foi com tristeza no coração que precisei aceitar que Chester Bennington tirou a própria vida aos 41 anos.
Your friends all plead for you to stay
Sometimes beginnings aren't so simple
Sometimes goodbye's the only way
Shadow of the Day - Linkin Park
Longe de um modelo de pessoa admirável, Chaz foi muito humano. Passou por abusos, lidou com depressão e se afundou em drogas pra lidar com tudo isso. Muito humano, assim como eu, assim como você, assim como todos nós. Por detrás da voz intensa e da imagem da fama, havia um garoto tão perdido quanto eu durante minha adolescência. Um cara que, assim como eu, passou por muito, e tentou seguir em frente, lutando contra os próprios fantasmas.
Os fantasmas, às vezes, vencem. Pesam em nossas costas e não é mais uma questão de escolha da nossa parte. A gente vai perdendo as forças pra bater de frente com os obstáculos. E não importa se temos bons amigos, familiares, um bom emprego e uma vida bem-sucedida. Às vezes  a gente morre por dentro, e nada disso tem sentido. E um vida sem sentido deixa de ser vida.
Quando eu senti que não aguentaria mais o que a vida colocava no meu caminho, eu ouvi One Step Closer, e quando eu quis gritar shup up when I'm talking to you mas não pude, Chaz gritou por mim.
Quando eu me sentia anestesiada, cansada de estar sempre sendo o que os outros esperavam de mim e deixando de ser eu mesma a cada dia, eu ouvi Numb, e eu soube que eu não estava sozinha - que esses sentimentos existiam e não eram uma loucura.
Ainda hoje, mesmo as música antigas têm algum significado pra mim, me ajudam a lidar com os meus próprios fantasmas, meus medos e minhas feridas. Ainda hoje Points of Authority traduz em palavras tudo o que eu preciso dizer e não posso. Ainda hoje, eu sinto que estou "One Step Closer", e que preciso de "Somewhere I Belong" - porque eu quero sarar, eu quero sentir e apagar toda a dor até que vá embora. Ainda hoje eu preciso de uma voz que grite por mim quando o mundo insiste em me calar.
No dia 20 de Julho de 2017, Chester Bennington nos deixou. E no lugar dele fica só um vazio, um grande vazio...

When my time comes forget the wrong that I've done
Help me leave behind some reasons to be missed
And don't resent me when you're feeling empty
Keep me in your memory, leave out all the rest
Leave out all the rest
(Texto escrito como parte da blogagem coletiva de Julho no Neko High, sobre alguém que eu admiro).

Marcadores: , , ,


By Shana • terça-feira, 25 de julho de 2017 • 5 ComentáriosLink to this post


«older newer»