posts shana blog links
+ + +
Um dia de cada vez

Saudações, queridos leitores e leitoras ♥ Espero que tenham passado bem os últimos dias. Como prometido - e diga-se de passagem, tô prometendo fazem quase 3 fucking meses - eu finalmente resolvi lutar com minha preguiça e contar pra vocês o que tenho feito da minha vida desde fevereiro. Comentei aqui que viajei durante o carnaval e, desde então, não atualizei mais ninguém acerca do que andou rolando comigo. Fiz muitas coisas - muitas mesmo; viajei, passeei, comi, comprei, tudo isso e um pouco mais. Contudo, decidi separar esse post em duas "partes" - uma pra tagarelar mesmo, e um post fotográfico, pra que ninguém precisasse enfrentar uma atualização gigante, né. Isso dito, sigam-me os bons que tem história pra contar~
Primeiramente, viajei no carnaval. No final de fevereiro, comentei aqui no blog que fui até Ax buscar meu diploma - pra quem não sabe, a gente não recebe ele na colação de grau. A colação é mais uma cerimônia pra oficializar algumas coisas, fazer juramentos e tirar muitas fotos, e às vezes eles entregam alguns documentos pra comprovar que você está formado. O diploma mesmo - o papel bonitão, chique, com letra bonita e tal - a gente só recebe alguns meses depois. Até aí, tudo bem, faz parte. Le problema: a gente precisa assinar que recebeu o diploma, e a minha universidade fica a 400km+ de onde eu moro atualmente (que é, inclusive, onde eu morava antes da faculdade). Assim, embora o documento tenha ficado pronto cerca de uns 3 meses depois da minha colação (que foi em Abril de 2016), eu precisava de tempo e dinheiro pra ir até Assis buscar o bendito. Acabei aproveitando o carnaval pra ter ao menos 2 dias pra ir até a Unesp, e no final de semana + feriado, passeei pela cidade na qual vivi por 5 anos, além de rever alguns amigos que ainda estavam por perto.
Em suma, foi muito bom. Vi muita gente que gosto, e respirar outros ares me fez bem. Voltar pra casa dos pais não foi um mar de rosas pra mim, e a convivência com os parentes - que eu mal via, já que só visitava e mantinha contato com meus pais e meu irmão mesmo - não é tão agradável. Assis, pra mim - minha querida Ax City - é o lugar onde eu ficava com quem gostava, me fazia bem, e vivia minha independência, apesar da loucura da faculdade e do stress de me sustentar sozinha. Assim, acabou sendo uma semana tranquila - me senti em casa, como não me sentia há muito tempo. Comi muita coisa gostosa e tirei umas fotos da cidade, mas pretendo postar isso mais tarde - continuemos com nossa prosa~
Alguém ainda lembra que eu prestei concurso público? Pois é, não passei. Embora não estivesse confiante, fui muito bem na parte de psicologia - meu problema foi a área de conhecimentos gerais, que caiu... medicina. Isso mesmo: caiu questões de doença, de epidemia, do código de ética médica, nada que um psicólogo tenha a obrigação de saber - a não ser que a ideia do município seja contratar um profissional pra acumular funções. Pasmem: não tinha nenhuma questão do código de ética do psicólogo. Embora não tenha tirado uma nota ruim - acho que fiz 26 de 30, se me lembro bem - os primeiros colocados tiraram notas um pouco mais altas, então não rolou. Fiquei um pouco chateada porque minha profissão é muito sucateada no Brasil, então os concursos acabam sendo nossa única esperança de salário digno e contratação em regime CLT - no mais, as pessoas contratam psicólogo pra prestar serviços, e pagam muito, muito mal mesmo. Fazer o quê? Lidei com a frustração e segui adiante.
Apesar disso, estou trabalhando mais. Conforme as oportunidades foram aparecendo, fui pegando mais horários no espaço onde trabalho, e atualmente atendo em 3 dias da semana - são tantos pacientes que chego em casa mais do que morta, só minha própria assombração mesmo. Como gosto do que faço, não é tão massante, mas é muito cansativo. Não sei se vocês conseguem visualizar o quanto atender uma pessoa drena nossas forças - é preciso ouvir, acolher, pensar, devolver algo que possa ajudar sem julgar, sem atacar, sempre com empatia, lidando com o que o outro espera de você. É o meu trabalho, e eu o adoro, mas ouvir mais de 10 pessoas desabafando num dia às vezes deixa meu cérebro num estado bem gelatinoso -qqq
Em parte, acho que são muitas pessoas, muitas subjetividades e minha terapeuta sempre fala que eu tenho muitos pacientes (pra alguém que está no início da carreira, acho, deve ser mais do que o recomendado), mas num geral tenho dado conta. Eu atendi bastante gente na época do estágio (ao menos em comparação aos meus colegas), consegui manter muitos atendimentos e até tentei atender mais de uma pessoa no mesmo dia, então aprendi a lidar com isso - ao menos um pouco, embora esteja bem distante do meu ideal de profissional. De qualquer forma, a partir de junho começo a receber mais e, além da terapia, pretendo iniciar uma supervisão pra me ajudar com os casos mais difíceis. Estou gostando, por mais cansativo que seja - e acumulando experiência no currículo, coisa muito necessária nesse nosso mundo capitalista. Por enquanto, é win-win - resta torcer pra que continue assim~
É mais ou menos isso que rolou nesses meses, na verdade. De resto minha vida anda um pouco parada - não tenho muito ânimo em fazer coisas em geral, e agora isso se somou ao meu cansaço, então nos dias de folga eu faço muitos nadas (embora leia muitas fanfics). Há cerca de um ou dois meses minha terapeuta sugeriu que eu fizesse uma avaliação psiquiátrica, pra ver se meu desânimo era caso de medicação, mas nunca mais tocamos no assunto (e agora não sei se porque eu dei uma melhorada ou se ela esqueceu do assunto mesmo -q), mas por hora eu tenho tentado viver um dia de cada vez. Não tenho dormido bem desde dezembro, mas tenho conseguido lidar com isso na medida do possível. Também tenho comido mal e ainda não consegui voltar totalmente pra minha dieta - principalmente porque trabalho em horários meio alternativos e não sou mais responsável pela cozinha em casa, então não tenho tanto controle sobre minhas refeições como tinha antes. Apesar disso, acho que estou lidando - com as perdas, com as frustrações e com a vida, um dia de cada vez. Tenho tentado não exigir muito de mim e me permitir preguiçar um pouco - ou descansar, porque estou exausta e não é de hoje. Quem sabe eu me sinto mais animada daqui uns meses, né?
Até lá, vou vivendo um dia de cada vez.
Por hoje, fico aqui. Na minha cabeça eu tinha muito mais coisas pra falar, mas se esqueci de algo, devo lembrar quando for postar as fotos, hahaha! Beijinhos a todos que leram, e até a próxima! <3

Marcadores: , ,


Written by Shana | 28 de abril de 2018 | 2 Comentários | link to this post



«older home newer»