Come closer


Saudações, visitante! Neste momento, você se encontra no Hishoku no Sora, um blog pessoal sem fins lucrativos. Aqui se fala de tudo um pouco, então fique à vontade!
A versão atual é inspirada na música "We Don't Talk Anymore", ilustrada por Jimin e Jungkook (BTS).

Home Me Blog Links

Talk to me
Kawasumi Shana, 24 anos e contando +1 todo dia 7 de fevereiro - logo, sou toda aquariana. Adoro música, mangás, animes, filmes e livros. Odeio insetos, injeções e filmes de terror, sou criativa e contraditória, possivelmente tenho um parafuso a menos - mas juro que sou legal. Ou não.more?

Stay in touch


Follow

Unspoken Words

Past Tense

Stay a little longer

 
Hishoku no Sora
Google Chrome | 1366x768


Mini Resenha - HAL
Olá, olá, queridos leitores! Espero que estejam todos bem e animados, pois hoje trago uma mini-resenha pra vocês - coisa que há tempos eu não fazia! Ando tão ativa que até eu estou mal acostumada, vejam só. Mas sinto lhes dizer - na verdade, não sinto não - que isso provavelmente não vai durar, pois a greve em meu campus acabou (ao menos por hora) e as aulas já começaram a todo o vapor. Meu calendário ficou uma bagunça, e concluí que férias são para os fracos, porque os bons mesmo fazem a ceia de natal dentro da faculdade. E tenho dito!

Eu já aprendi que não tenho vocação pra essa coisa de fazer resenha e dar dicas no blog, e acho que vocês já devem ter... assim, mais ou menos, notado esse não-talento meu. No entanto, vez ou outra eu realmente encontro algo assim apaixonante, e que precisa ser compartilhado com o mundo inteiro! Ok, o blog não chega até o mundo inteiro, mas os leitores bem que podem encontrar algo útil nessas recomendações, não? Façam de conta, ao menos.
A recomendação da vez é Hal, uma história emocionante e que quaaaase me fez chorar - quase, porque eu li o mangá. Espera só até eu ver o filme...



Hal é um filme japonês, que estrelou nas telinhas da Terra do Sol Nascente em Junho de 2013. Eu tive contanto com ele através de um fanblog de Ao Haru Ride - e você deve estar se perguntando como diabos isso aconteceu, certo? Calma que eu explico, vamos caminhando.
O character design desse longa foi feito pela minha querida e admirada Sakisaka Io, a mangaka e criadora de Aoharaido. Qualquer leitor que conheça a sina de acompanhar mangás lindos com a certeza de que nunca os veria animados sabe o que é tristeza nessa vida - e descobrir que minha atual mangaká favorita seria responsável pela arte de um longa-metragem foi quase um presente dos céus.
Durante alguns meses, eu acompanhei o desenrolar da divulgação de scans, trailers e pedacinhos de música ansiosamente, para só há dois dias atrás descobrir que ainda vai demorar muito tempo para que eu possa assistir ao filme... Chateadíssima, queridos leitores, chateadíssima de verdade.
Maaaas!, porém, contudo, entretanto, êis que me deparo com uma verdadeira dádiva da ganância oriental! Devida à repercussão do filme, foi criada uma adaptação em quadrinhos - isso mesmo, queridos leitores! Aqui nos deparamos com uma inversão de fatores, meus caros: uma animação que resultou em um mangá. Nem preciso dizer que eu quase chorei de emoção, não é? É claro que não, afinal, é só força de expressão mesmo...
Hal (ハル) se passa em em um futuro não muito distante, onde robôs e humanos convivem tranquilamente nesse mundo. A história gira em torno de um casal de namorados; Kurumi, uma garota amável com o estranho costume de colecionar todo o tipo de coisas que acha bonitas e Hal, um garoto consideravelmente enigmático, cuja própria história e personalidade vão sendo reveladas lentamente no decorrer da narrativa.
O ponto chave do filme - e, consequentemente, do mangá - é: e se a pessoa que você ama morresse, e você perdesse sua vontade de viver? E, então, um robô idêntico ao seu amado lhe fosse enviado, para lhe ajudar a superar essa perda?
É de uma forma extremamente sutil e muito delicada que a história se desenvolve, tornando-se impossível não se emocionar com a história de Kurumi e Hal e não se sentir preso a esse pequeno universo que eles constróem juntos. E não se engane, meu caro leitor: o desfecho é totalmente surpreendente - eu, particularmente, não esperava por essa, e até voltei as páginas para ler de novo, tamanha minha surpresa! Hal é uma história que, definitivamente, vale a pena conferir!
Uma última observação é que, embora chame-se Hal, pronuncia-se "Haru" - que, em japonês, significa "primavera". De uma certa forma, tem uma simbologia bem interessante, principalmente porque tanto a estação quando a própria palavra são cheias de simbologias por si sós. Enquanto o filme não sai legendado, dá pra matar a vontade com o mangá, que você pode ler aqui no MangaFox. A adaptação foi feita por Ayase Umi, e conta com apenas quatro capítulos. É curtinho, mas vale cada segundo!

Deixo o trailer para os interessados. ♥




Espero que tenham gostado, meus leitores queridos! :D Um beijo a todos e até a próxima! o/

Marcadores: , , , ,


By Shana • sábado, 17 de agosto de 2013 • 0 ComentáriosLink to this post


«older newer»