Home Me Blog Links
welcome

Saudações, visitante! Neste momento, você se encontra no Hishoku no Sora, um blog pessoal sem fins lucrativos. Aqui se fala de tudo um pouco, então fique à vontade!
A versão atual é estrelada pela Koizumi Risa, de Lovely Complex, com tons de azul, amarelo e laranja~

labels

archive

webmiss

Kawasumi Shana, 24 anos e contando +1 todo dia 7 de fevereiro - logo, sou toda aquariana. Adoro música, mangás, animes, filmes e livros. Odeio insetos, injeções e filmes de terror, sou criativa e contraditória, possivelmente tenho um parafuso a menos - mas juro que sou legal. Ou não. more?

follow me


Follow

bye bye

 
Hishoku no Sora
Google Chrome | 1920x1080


Hits novos com cara de anos 80
Saudações, leitores! Espero que tenham passado bem os últimos dias. Eu continuo na preguiça constante de existir, mas agora menos produtiva - acho que as noites mal-dormidas e a insônia têm acabado um pouco com o meu pique, se querem saber. Eu vou superar, eu acho - eu sempre supero, anyway.
Mas o post de hoje não é exatamente sobre mim, e sim sobre essas duas coisinhas superbacanas que eu encontrei aí mundo afora - nas quais acredito piamente que vocês precisam ouvir ao menos uma vez antes de bater as botas. Não sei vocês, mas a tia Shana aqui, particularmente, tem uma queda de 100m pelos hits dos anos 80 - daqueles tipo New Order, puxados pro electropop e tudo o mais. Convenhamos: eles têm uma batidinha gostosa que a música eletrônica dos anos 90 em diante não consegue copiar, embora tenham lá seu charme também.
Daí, esses dias eu estava vendo TV e encontrei uma dessas raridades atuais que preza a boa música, e tinha também esse outro grupo recomendado pela Autumn há uns mil milênios atrás pelo qual eu acabei me apaixonando, e pensei: ah, por que não?
Resumindo: o post de hoje é sobre boa música, meus caros!

Pra começar bem, vamos de Sam Sparro. Tive o ótimo prazer de conhecê-lo com I Wish I Never Met You na TV e, carambola, que música boa heim? Atiçada pela minha curiosidade sem limites, comecei a caçar mais músicas desse cara e posso garantir: serviço de qualidade é por aqui. Vale a pena citar que Sparro tem uma voz muito gostosa e suave, daquelas que você quer no seu ouvido 24h por dia, 7 dias por semana. 
Australiano com ascendência portuguesa, segundo o Wikipedia, Sam está no ramo desde 2007, quando debutou com o single Cottonmouth, cujo clip parece uma mistura de banda colorida com rap americano bem... porcaria, eu diria, embora a música não seja assim tãããão ruim. Mas seu segundo single, Black and Gold, é uma dádiva, se me permitem dizer, e acho que a partir daí o rapaz só evoluiu. Por favor! Como não babar nesse conceito classic? ♥ E nem vou falar nada do "conceito máfia" do primeiro clip que citei aqui.
Entre os gêneros musicais nos quais Sparro se encaixa está o Synthpop, que surgiu entre as décadas de 60 e 70 - o início do uso dos sintetizadores de voz, que já foram usados por bandas de rock como Pet Shop Boys e Duran Duran. Além de Sam Sparro, existem outros artistas que vêm revivendo esse gênero, e dentre eles está o nosso próximo grupo: La Roux.

La Roux, embora não pareça, era uma banda inicialmente: um projeto entre a vocalista Elly Jackson e o produtor e compositor Ben Langmaid, embora este último tenha abandonado o - até então - grupo durante a produção de Trouble in Paradise, lançado oficialmente em 21 de Julho. Mas voltando pro começo da história, o La Roux lançou-se nas paradas com o single Quicksand, em 2008, lançado por uma gravadora independente, a francesa Kitsuné Records. Já o segundo single, In for the Kill, foi lançado em março de 2009 pela britânica Polyder Records - que produziu o primeiro álbum e está encarregada do segundo também. Essa belezinha foi popular o suficiente para ganhar vários remixes e ocupar o 2º lugar na UK Singles Chart apenas um mês após seu lançamento. É, meus jovens, a voz da nossa ruivinha pode ser pouco conhecida por aqui, mas conquistou direitinho os corações britânicos.
Eu conheci o La Roux num post do Bittersweet Jellyfish, com a música I'm Not Your Toy - que, convenhamos, tem uma letra incrível. A princípio eu tinha achado o MV bem cômico, mas a voz da Elly me chamou a atenção desde o começo - e acreditem, é igualzinho ao vivo! Demorou um tempo pra que eu procurasse por mais músicas, mas esse ritmozinho anos 80 não saía de mim por mais que eu tentasse, entã acabei ouvindo o primeiro álbum todo. Só digo isso, meus jovens: vale a pena cada segundo! Recomendo pra vocês ouvirem Bulletproof e o meu chuchu: Tigerlily. Infelizmente, ela não tem um clip propriamente dito... mas ok, La Roux vale a pena de qualquer forma.
Ah, e só a cargo de curiosidade: pronuncia-se Lah-Roo, haha!

Moral da história? Não temam, pessoal... O pop ocidental ainda tem salvação, só precisamos procurar melhor no meio da lama toda - ou no YouTube, serve também ♥ E, com isso, eu vou partindo para a minha Terra do Nunca, porque a vida me chama, meus caros! Espero que tenham gostado. Beijos a todos e até a próxima. o/

Marcadores: , ,


By Shana • sábado, 23 de agosto de 2014 • 3 ComentáriosLink to this post


«older newer»