let's be cool
Saudações, visitante! Neste momento, você se encontra no Hishoku no Sora, um blog pessoal sem fins lucrativos. Aqui se fala de tudo um pouco, então fique à vontade!
A versão atual é inspirada na música "Afraid to be Cool", ilustrada por Jimin e Jungkook (BTS, War of Wormone).

the coolest
Kawasumi Shana, 24 anos e contando +1 todo dia 7 de fevereiro - logo, sou toda aquariana. Adoro música, mangás, animes, filmes e livros. Odeio insetos, injeções e filmes de terror, sou criativa e contraditória, possivelmente tenho um parafuso a menos - mas juro que sou legal. Ou não. more?

come with me!


Follow

scream out!

what did you say?

bye baby bye!

 
Hishoku no Sora
Google Chrome | 1366x768


Nós ainda precisamos do feminismo
Na quinta-feira, eu tinha um atendimento agendado as 19h. Ele foi desmarcado, então aproveitei pra resolver umas coisas na faculdade e, por volta das 19h40, estava vindo pra casa. Moro a 10min a pé da faculdade e, como é horário de verão, o céu estava claro. Eu vestia uma calça comprida e larga, e uma blusa que, de tão maior que eu, cobria metade dos meus braços e até a metade da minhas coxas. E, quando passei no posto de gasolina em frente à faculdade, movimentado devido ao horário, um cara mexeu comigo.
Minha roupa não era curta, nem justa. Eu não estava em lugar escuro, nem deserto. Será que eu estava "pedindo"?
Hoje, dois dias depois, eu fui ao mercado. E não conseguia ir até a sessão de frios porque haviam 5 homens ali, em roda, conversando e fazendo compras. E eu fiz de tudo pra cortar caminho e entrar pelo outro lado do corredor, porque eu tive medo. Medo que mexessem comigo. Medo de que, assim como aconteceu com várias meninas da faculdade, eles me esperassem do lado de fora e me seguissem. Medo, porque eu não dou conta de me defender de um único homem, quem dirá de 5.
Paguei minhas compras, e vim pra casa. O mercado fica a 15min de onde moro, a pé mesmo. Eram 11h20 da manhã, o sol dando as caras, mas minha rua estava deserta. E na mesma calçada em que eu estava, ao longe, eu vi outro homem. Que eu não conhecia. E quando passou por mim, ele de bom-dia. Eu não respondi, fiquei olhando pro chão, e segui caminhando. E a primeira coisa que passou na minha cabeça não foi se ele era um abusador ou um pai de família, mas sim: "E se ele trabalha na minha rua? E se ele sabe onde eu moro? E se ele quiser se vingar de mim porque eu não dei bom dia pra ele?"
Eu moro numa cidade interiorana, onde as lojas fecham sexta às 18h e não abrem de fim de semana. Numa cidade pequena, que só veio ter seu primeiro McDonalds em 2013. Numa cidade onde, teoricamente, todo mundo se conhece e se cumprimenta na missa de domingo, na igreja do centro da cidade.
O meu "amigo secreto" tem nome, e infelizmente é muito conhecido entre muitas mulheres: o medo. Medo de sair de casa, medo de andar na rua, medo de não saber se o cara que te cumprimentou na rua só está sendo educado ou se quer machucar você. A gente pode votar, a gente pode estudar, a gente pode trabalhar, mas a gente não pode viver. Não pode sair na rua. Não pode vestir o que quiser. E mesmo quando o Enem está falando de violência contra a mulher, a sociedade continua opressora, assustadora e machista. O machismo sou eu, gorda, de roupa comprida, andando na rua e olhando pro chão, e não saber se vou chegar bem em casa, numa caminhada de 15 minutos. O machismo é o medo de ser mulher. O machismo é essa violência, que mesmo quando não se concretiza, a gente sente na pele.
E, de novo, eu pergunto: será que eu estou "pedindo" pra me sentir assim?

Marcadores:


By Shana • sábado, 28 de novembro de 2015 • 9 ComentáriosLink to this post


«older newer»