Come closer


Saudações, visitante! Neste momento, você se encontra no Hishoku no Sora, um blog pessoal sem fins lucrativos. Aqui se fala de tudo um pouco, então fique à vontade!
A versão atual é inspirada na música "We Don't Talk Anymore", ilustrada por Jimin e Jungkook (BTS).

Home Me Blog Links

Talk to me
Kawasumi Shana, 24 anos e contando +1 todo dia 7 de fevereiro - logo, sou toda aquariana. Adoro música, mangás, animes, filmes e livros. Odeio insetos, injeções e filmes de terror, sou criativa e contraditória, possivelmente tenho um parafuso a menos - mas juro que sou legal. Ou não.more?

Stay in touch


Follow

Unspoken Words

Past Tense

Stay a little longer

 
Hishoku no Sora
Google Chrome | 1366x768


Super Resenha | Romeo x Juliet

Saudações, ilustríssimos leitores! Hoje trago a vocês mais uma Super Resenha, desta vez de um título mais antigo, mas ainda assim fantástico: Romeo x Juliet! Inspirado pelo icônico romance de William Shakespeare, responsável por suscitar várias tragédias românticas (e o próprio movimento Romântico na literatura), estejam preparados para altas emoções - e lágrimas também.

O continente flutuante de Neo Verona, uma vez governado pela família Capuleto, está sobre o domínio do Grã-Duque Montecchio - um ditador inescrupuloso cujo único interesse é poder. Para conquistar o trono, ele assassinou todos os membros da família Capuleto, além de seus servos e aliados - com exceção da pequena Juliet, que escapa com vida. 14 anos depois, próximo de seu 16º aniversário, ela está prestes a descobrir suas origens e sua missão de tirar Neo Verona das garras dos Montecchio - o que ela não esperava era acabar apaixonando-se por seu filho, Romeo.

Romeo x Juliet é uma animação de 2007, do estúdio Gonzo (Black Cat, Rosario to Vampire, Chrno Crusade), que conta com 24 episódios e é vagamente inspirada na obra de William Shakespeare. Inspirada, pois o anime conta com uma série de elementos místicos e trata-se de uma história totalmente nova, muito distante do romance entre dois jovens italianos, filhos de famílias inimigas. Infelizmente, já adianto a vocês que as mudanças não alteraram o triste desfecho do casal, então esqueçam os finais felizes e preparem a caixinha de lenços.
Com ou sem alterações, posso dizer que Romeo x Juliet é uma série muito bem feita e, apesar das mudanças, o principal permaneceu: a pureza do amor entre dois jovens, que resiste intensamente num contexto político caótico e repleto de dificuldades. Essa, caros leitores, é a história de um amor impossível.


Eu confesso que me surpreendi muito com o enredo de Romeo x Juliet, pois esperava uma história romântica e o foco do anime fica muito mais na questão política. Embora tenham alguns episódios voltados só para o casal principal, a questão do título é justamente o golpe realizado pelo Grã-Duque e os esforços da "facção Capuleto" para tirá-lo do poder, coisa que eu achei bem interessante.
Quanto ao desenvolvimento, eu achei tudo muito... devagar. Tanto a relação entre Romeo e Juliet quanto o próprio desenrolar da história tem um ritmo bem lento - talvez não fossem necessários 24 episódios, 12 ou 15 dariam conta do recado. Isso pra mim é um pouco característico das animações do anos 2000, então não sei se essa é uma crítica pertinente ou não.
A execução, de certa maneira, foi um pouco decepcionante. A história vai meio arrastada no início, e senti que algumas coisas que poderiam ser melhor trabalhadas perderam espaço pra coisas menos interessantes. [spoiler] Eu particularmente achei o plot da árvore mágica totalmente desnecessário, e no fim me deu um impressão de que não souberam como matar os personagens e inventaram essa coisa toda de última hora. Uma coisa que eu queria que fosse aproveitada foi, por exemplo, a presença do emblema das duas famílias - Montecchio e Capuleto - nas portas que levavam à Escalus, pois cheguei a teorizar que havia alguma relação com as "árvores gêmeas", e que ambas as famílias tinham algum papel nessa história. Também fiquei um pouco decepcionada com como a Ofélia se transforma de sacerdotisa que preza pela vida de Neo Verona em espírito-malvado-da-árvore-mágica. Eu sinceramente esperava mais desse plot. [/spoiler] Ouso dizer que o anime poderia ter focado só na questão política e na relação entre as duas famílias, e já teria sido uma história fantástica.
Além disso, encontrei algumas falhas muito bobas de continuidade, coisa que eu não esperava, visto que parece ser uma grande produção (mesmo para a época). Alguns problemas também são "solucionados magicamente" - como quando vemos a espada de Juliet guardada nos pertences da Portia, e quando a "facção Capuleto" se encontra com a jovem novamente, a espada está lá porque "a Sra Portia a enviou pra você"- ainda que ela não tivesse qualquer contato com qualquer um dos integrantes e, aparentemente, ninguém soubesse onde Juliet estava nem que passou a noite no convento. Podia ser melhor, caros roteiristas, nós sabemos que podia.


Achei muito interessante a caracterização das personagens. Romeo é um jovem nobre, inocente e ingênuo, que embora esteja insatisfeito com o governo e acredite na necessidade de ouvir a voz do povo, não é capaz de fazer nada porque... é inocente e ingênuo. Juliet, por outro lado, é uma jovem forte, determinada, gentil e boa, que carrega o pesado fardo de salvar o povo de Neo Verona da ditadura comandada pelo Grã-Duque Montecchio. Em contraposição ao rapaz, ela é mais destemida e está intimamente envolvida com a organização da rebelião contra o governo corrupto do Grã-Duque. Até o quase o final da série, Romeo me pareceu só um jovenzinho apaixonado, enquanto Juliet é a verdadeira protagonista da história, se envolvendo em lutas, ferindo-se e perdendo coisas importantes em sua missão como herdeira dos Capuleto. Num geral, são as mulheres que são portadas como jovens inocentes e apaixonadas, e ver uma figura feminina tão forte me agradou bastante!
Durante a história, as duas personagens principais amadurecem consideravelmente - e acho que posso dar algum crédito ao Romeo, embora eu tenha ficado com a imagem de "nobre jovem e inocente" até o final do anime - digo, ele sempre me dá a impressão de "sabe de nada, inocente", ou algo assim. Uma coisa que eu notei é que, por conta dessa caracterização, fica uma sensação de que ele é o mais apaixonado do casal - claro, ele precisa lutar pelo seu amor, enquanto Juliet é criada para lutar por uma nação toda. Ainda assim, eu achei muito interessante que, conforme o desenrolar do enredo, os dois se separam várias vezes e o fazem de bom-grado, porque ambos têm responsabilidades e sabem que é necessário. Acho que tudo isso é muito presente até nas cores e brasões que caracterizam cada um deles: Juliet é a Iris - uma flor que representa a esperança, força e sabedoria - e a Espada, e caracteriza-se como uma personagem "ofensiva", que luta por uma causa maior. Romeo, por outro lado, é representado pela Rosa - comumente associada ao amor - e pelo Escudo, e ele de fato está sempre buscando proteger sua amada ao longo da série. Só um desses detalhes que eu percebi enquanto assistia.
Quanto à animação, achei a produção muito louvável. O character design é simples, mas charmoso, e os cenários são absolutamente fantásticos. Infelizmente, a qualidade da animação vai decaindo um pouco ao longo da série - não sei se existe uma versão blu-ray ou remasterizada, mas a versão para tv foi um festival de plásticas muito mal-feitas na cara de muita gente. A trilha sonora é um espetáculo a parte, muito bonita, tocante e envolvente, e acho que ninguém consegue segurar mais as lágrimas ao ouvir You Raise me Up a essa altura: os feels, eles são muitos!



Após a animação, a história ainda foi adaptada em um mangá de dois volumes (9 capítulos), com publicação mensal, seguindo a mesma história do anime e com a arte feita por COM (Happy Seven).
A arte do mangá tem um traço mais "fofo", embora eu tenha adorado o ar mais jovial que as personagens receberam - em alguns momentos do anime era difícil me convencer que os protagonistas tinham apenas 16 anos, porque eles pareciam muito maduros. No mangá, Juliet ganha um ar muito mais inocente, e Romeo me passa melhor a impressão de um rapaz jovem e afetuoso.
Quanto à adaptação, o mangá tem um ritmo mais acelerado que o anime, o que dá uma sensação mais emocionante, eu diria. Alguns pequenos acontecimentos também foram alterados no desenvolvimento do enredo - o primeiro encontro entre Romeo e Juliet no baile de máscaras é diferente, por exemplo, embora eu tenha achado a cena muito amável tanto na animação quanto no mangá.
A caracterização das personagens também mudou um pouco do original. Romeo, por exemplo, é bem mais espirituoso nos quadrinhos, mudança que eu julguei mais que bem-vinda! Eu o senti muito mais expressivo e ativo no mangá (embora o Romeo doce e inocente também seja uma personagem interessante, acho que prefiro essa versão mais ativa dele). Já a Juliet, por outro lado, perdeu um pouco da compostura, e a senti bem mais adolescente na adaptação. Gosto muito da imagem forte que ela tem no anime, mas julguei essa mudança bem-vinda também, afinal, ela é de fato uma jovem de 16 anos e isso ficou bem mais evidente no mangá. Alguns arcos foram cortados ou muito resumidos, mas nada que prejudicasse tanto o andamento da história realmente. Embora os últimos capítulos tenham sido muito corridos e algumas coisas possam ficar um pouco confusas pra quem não viu a animação, COM soube passar pelos acontecimentos do anime sem forçar muito e fez uma síntese bem bacana. Uma mudança que eu achei bem interessante é que, diferentemente do anime, no mangá Juliet confronta o Romeo ao descobrir que ele é um Montecchio, dizendo inclusive que não pode mais vê-lo. Ademais, dessa vez eu senti um foco maior no romance entre Romeo e Juliet, e a questão política mais como pano de fundo mesmo.


Embora corrido, achei que o final foi melhor trabalhado no mangá. Continuo achando o plot da árvore totalmente desnecessário, mas as mudanças feita nos quadrinhos deixaram o fim menos pior, em minha humilde opinião. Ainda acho que a rivalidade entre as famílias poderia ter sido mais trabalhada e que essa história de Escalus podia ao menos ter sido introduzida anteriormente na história, pra que se intercalasse melhor ao enredo. A única falha da adaptação foi a correria no segundo volume - talvez o mangá não tenha feito tanto sucesso e seu fim foi adiantado, deixando menos espaço para o/a mangaká finalizar a história. Por fim, concluo que o mangá complementa um pouco o anime nesse aspecto, e talvez o final ideal fosse uma mistura do que aconteceu nos dois.

Há alguém que consiga conter as lágrimas nessa cena?

Acabei não comentando muito sobre os personagens secundários nessa resenha, mas sinto que grande parte deles foi pouco desenvolvido na história - um exemplo? A Hermione, que acaba por ser totalmente desnecessária, não servindo nem para criar um triângulo amoroso. A menina era tão chata e tão inútil que eu cheguei a torcer pra que ela morresse de uma vez (e olha que é raro eu torcer por morte em uma história, heim?). Ainda assim, alguns se destacam - o meu favorito é o Willy, ou William, que em parte acho que acaba sendo o narrador da história por motivos bem óbvios.
Por fim, concluo que Romeo x Juliet é um ótimo título, que embora traga um enredo totalmente novo, mantém-se fiel ao aspecto mais importante do romance clássico - o amor impossível, que é viabilizado na "vida eterna". Apesar de conter uma série de falhas na execução, o título se sai bem no fim das contas, e vale a pena conferir
Bom, eu fico por aqui! Espero ter atiçado a curiosidade de vocês e feito jus ao título com essa resenha :) Beijinhos a todos e até a próxima, queridos leitores!

Marcadores: , ,


By Shana • domingo, 4 de setembro de 2016 • 7 ComentáriosLink to this post


«older newer»