let's be cool
Saudações, visitante! Neste momento, você se encontra no Hishoku no Sora, um blog pessoal sem fins lucrativos. Aqui se fala de tudo um pouco, então fique à vontade!
A versão atual é inspirada na música "Afraid to be Cool", ilustrada por Jimin e Jungkook (BTS, War of Wormone).

the coolest
Kawasumi Shana, 24 anos e contando +1 todo dia 7 de fevereiro - logo, sou toda aquariana. Adoro música, mangás, animes, filmes e livros. Odeio insetos, injeções e filmes de terror, sou criativa e contraditória, possivelmente tenho um parafuso a menos - mas juro que sou legal. Ou não. more?

come with me!


Follow

scream out!

what did you say?

bye baby bye!

 
Hishoku no Sora
Google Chrome | 1366x768


Adeus, 2016

Vai tarde, se formos honestos. 2016 foi um ano de poucos altos e muitos baixos, e embora num geral algumas coisas até tenham dado certo pra mim, 80% deste ano foi o caos. Acho que ninguém vai se lembrar muito de 2016 com carinho e nostalgia, mas pra mim foi um ano de iniciar e encerrar muitos ciclos na minha vida. Aprendi muito em 2016, mudei muito m 2016, vivi muito em 2016.
No ano passado, eu terminei o mesmo falando sobre receber o que viesse de braços abertos e tentar ser uma versão melhor de mim. Dar o meu máximo naquilo que dependia de mim, e deixar acontecer aquilo sobre o qual eu não tivesse controle ou voz. Foi assim que sobrevivi à 2016. Além desses "votos", eu estabeleci 5 metas pra mim mesma, e é chegada a hora de fazer aquele balanço.

As metas de 2016: o que deu certo?
1.Ler ao menos 3 livros (vulgo: diminuir a fila literária)
Deu super certo! Consegui ler não 3, mas 5 livros neste ano - e nessa conta só estão os completos, porque estou com 3 leituras em andamento! Retomar a leitura foi muito prazeroso pra mim, e acredito que depois que formar, terei mais tempo pra me dedicar aos livros. Tô empolgada, e espero conseguir ler todas as obras possíveis (e preferencialmente todas as que andei comprando em feiras literárias por precinhos bacanas).
Acredito que poderei ler mais livremente agora, então não vou deixar meta planejada pra 2017. Em 2016 eu aprendi que se tiver tempo e gostar do que estou lendo, eu consigo terminar livros em 2 ou 3 dias, e isso era o que eu precisava mostrar pra mim mesma.

2.Começar a minha terapia
Já citei essa bendita várias vezes neste ano, então vocês sabem: deu super certo! Trabalhei com dois terapeutas, e sinto que muito do que eu conquistei do segundo semestre pra cá (no quesito emocional e pessoal) foi graças à terapia. Cresci muito, sofri muito, chorei muito, melhorei muito e aprendi a me importar mais comigo mesma. Foi difícil cutucar muitas feridas pessoais, mas sinto que muitas estão se curando e em breve se tornarão cicatrizes. Está sendo muito importante, muito produtivo e muito especial pra mim, e acho que foi uma das coisas mais importantes que já fiz pra mim mesma ao longo de 23 anos de existência.

3.Respeitar os meus limites
Acho que essa foi a meta mais difícil que me coloquei, e apesar de tudo, acho que deu certo. Aprendi que às vezes os outros não respeitam nossos limites e que se eu não os tiver bem claros pra mim mesma, e não respeitá-los, vou sofrer muito como consequência. Foi difícil, mas aprendi muito sobre mim e pude crescer muito ao conceber todos os meus limites. Acho que foi a meta mais importante pra mim e estou feliz de ter dado meu melhor pra cumpri-la.

4.Dar duro na faculdade
Vou ser sucinta: ainda estarei dando duro até março, não tá sendo fácil, mas posso garantir que essa meta foi cumprida com sucesso e muito sangue, suor e lágrimas também.

5.Continuar voltando pra casa quando der
Fiz o possível. Acho que posso dizer que deu certo, porque estive na casa de mamãe em todos os feriados prolongados possíveis! :3 Sucesso na missão, leitores! 

E para 2017, o que vai acontecer?
Honestamente? Nada. Depois de quase 1 ano de terapia, depois de organizar minha vida, a bagunça que sou eu mesma, acho que minha vida pode só ir seguindo. Acho que agora eu tomei as rédeas do que vem acontecendo, aprendi a tomar decisões, conceber meus limites e respeitá-los, e eu não preciso mais fazer promessas ou estabelecer objetivos. Ao menos pra esse ano, acho que posso me dar o direito de viver, porque talvez eu finalmente tenha entendido o que isso quer dizer pra mim.
Quando ouvi o álbum Wings, do BTS, dei de cara com essa música, que acredito resumir muito o que venho sentindo. Às vezes parece que tudo dá errado porque queremos seguir num caminho que não é nosso - e pra achar o seu rumo, você precisa se perder no meio da jornada. Depois de um tempo perdida, acho que eu finalmente encontrei um lugar por onde ir, um caminho que é meu de fato.


Se tem algo que aprendi neste ano, é que a vida acontece. Não adianta se planejar, fazer desejos, organizar demais - a vida acontece, e a gente pode tentar acompanhá-la ou ser arrastado por ela. Nunca vai ser o que esperamos, nunca vai ser boa pra gente só por ser. A vida é mesmo uma correnteza, e se você não aprender a nadar no meio das tempestades, vai ser arrastado e se afogar. Precisamos dar o nosso melhor, e 2016 foi um ano que colocou isso à prova.
Assim, pra 2017, eu não espero nada. Que a vida traga o que quiser e puder, e eu vou fazer o meu melhor com isso. Em 2017, eu vou viver. :) Celebremos, então, não o ano que se inicia, não os fogos de artifício e a ceia farta, não as promessas que nunca cumpriremos - celebremos a vida, caros litores! Afinal, chega ano e passa ano, mas a vida sempre continua.


Assim terminamos! Que 2017 seja um bom ano a todos vocês - aprendam muito, mudem muito e vivam muito! E que possamos semear e colher coisas boas, todos nós! Um beijo enorme a todos os leitores que acompanharam a mim e ao Hishoku nesse ano que passou, e que possamos continuar juntos em 2017!

Marcadores: , ,


By Shana • sábado, 31 de dezembro de 2016 • 1 ComentáriosLink to this post


«older newer»